Phelps paga mais impostos com medalhas conquistadas no Brasil

A matéria foi assinada por Igor Utsumi (UOL) e chamou minha atenção pela valorização financeira que teve o nadador Michael Phelps com as medalhas conquistadas no Brasil . Ganhou prêmios financeiros e vai ter que desembolsar 175 mil reais de impostos. Leiam : 

O nadador norte-americano Michael Phelps aumentou sua coleção de medalhas nesta Olimpíada ao ganhar cinco ouros e uma prata. Com o feito, vai aumentar também o valor da despesa com impostos nos Estados Unidos.

Segundo artigo publicado no site Inc.com por Steve Mendelsohn, diretor da plataforma de informações tributárias Checkpoint da Thomson Reuters, atletas de elite “que valem milhões” como Phelps estão na faixa tributária superior, de 39,5%.

Como cada atleta olímpico dos Estados Unidos recebe um prêmio de US$ 25 mil (R$ 80 mil) por medalha de ouro, US$ 15 mil (R$ 48 mil) por prata e US$ 10 mil (R$ 32 mil) por bronze, Phelps (que ganhou cinco ouros e uma prata) precisará desembolsar cerca de R$ 175 mil para pagar impostos.

O montante pago por atletas americanos varia de acordo com sua faixa tributária. Os que ganham menos e estão na faixa mais baixa, de 10%, pagam US$ 2.500 (R$ 8.000) por um ouro, US$ 1.500 (R$ 4.800) por uma prata e US$ 1.000 (R$ 3.200) por uma medalha de bronze.

“Trata-se de um problema com o qual vários já se ofenderam e que tem sido o tema de diversas tentativas legislativas de alterar o código tributário a fim de evitar tais situações, mas que foram infrutíferas até o momento”, afirma Mendelsohn.

Curiosidades das Olimpíadas : Brasil ficou fora de seis jogos olímpicos

Vivendo o clima das Olimpíadas  no Brasil, é sempre bom reviver curiosidades, fatos que marcaram as grandes competições ao longo da história.  Saí pesquisando e vejam o que encontrei na internet :

Curiosidades das Olimpíadas

– O palco da Primeira Olimpíada da Era Moderna, realizada em Atenas em 1896, foi o Estádio Panathenaic. A base do estádio era composta por uma estrutura de mármore, feita no século IV a.C.

– O Cabo de Guerra foi um esporte olímpico entre os anos de 1900 e 1920.

– Na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos os atletas da delegação da Grécia são os primeiros a desfilarem. Logos após vem os atletas do país sede e na sequência os dos outros países em ordem alfabética.

– Foi somente a partir das Olimpíadas de Londres (1908) que os atletas passaram a desfilar de forma organizada na cerimônia de abertura. Antes de 1908, os atletas entravam e saíam do estádio sem qualquer organização.

– O lema das Olimpíadas, “Citius, Altius, Fortius”, foi criado pelo francês Henri Didon para os jogos de Paris (1900). O lema, que traduzido significa “mais rápido, mais alto, mais forte” é usado até a atualidade.

– Apenas cinco países participaram de todos os Jogos Olímpicos da era moderna. São eles: Grécia, Grã-Bretanha, Suíça, França e Austrália.

– Na Grécia Antiga, os atletas gregos faziam várias orações aos deuses do Olímpo para que os jogos acontecessem sem probleas e de forma justa.

– A famosa frase “O importante não é vencer, é participar” é de autoria de um bispo da Pensilvânia (EUA) é foi pronunciada num discurso para os atletas, antes das Olimpiadas de Londres (1908).

– A famosa bandeira olímpica, com cinco arcos representando os continentes, foi elaborada por Pierre de Coubertin, em 1913. Ela foi hasteada pela primeira vez nos Jogos Olímpicos da Antuérpia em 1920.

– O fogo olímpico foi introduzido, pela primeira vez, na cerimônia olímpica nos Jogos Olímpicos de 1928 em Amsterdã.

– Em 1916, não foram realizados os Jogos Olímpicos de Berlim em função da Primeira Guerra Mundial.

– As Olímpiadas de 1944, que deveriam ocorrer em Londres, também foram canceladas, pois a Europa estava quase toda envolvida na Segunda Guerra Mundial.

– Nas primeiras Olimpíadas da Era Moderna, no começo do século XX, todas as medalhas eram entregues aos atletas na cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos.

– Foi somente nos Jogos Olímpicos de 1932 (Los Angeles) que os atletas vencedores começaram a ouvir o hino do seu país e a ver o hasteamento da sua bandeira, no momento da entrega das medalhas no pódio.

– Várias modalidades curiosas já fizeram parte das Olimpíadas: Doze Horas de Ciclismo (1896), Levantamento de peso com apenas uma mão (1896 a 1904), Cabo de Guerra (1900 a 1920), Tiro ao pombo (1920) e Voo livre de planador (1936), Jogo da Palma (1908), Motonáutica (1908) e arremesso de dardo e disco com as duas mãos (1912).

– Nas Olimpíadas de Melbourne (Austrália), em 1956, uma atleta tcheca e um norte-americano namoraram na Vila Olímpica. No auge da Guerra Fria, o namoro originou um incidente diplomático entre os dois países.

– A maior goleada ocorrida num jogo de futebol durante uma Olimpíada ocorreu em 1908 (Jogos Olímpicos de Londres). Na ocasião, a Dinamarca venceu a França pelo impressionante placar de 17 a 1.

– Durante os Jogos Olímpicos de Tóquio (1964), um judoca japonês cometeu suicídio após ser derrotado numa luta.

– Nas Olimpíadas de Estocolmo (Suécia), em 1912, um maratonista português desmaiou durante uma prova e morreu no dia seguinte no hospital. Foi apontada insolação como causa da morte.

– O sueco Oscar Swahn foi o atleta mais velho a conquistar uma medalha em Jogos Olímpicos. Com 72 anos, ele ganhou medalha de prata na competição de tiro durante as Olimpíadas da Antuérpia (Bélgica), em 1920.

– A primeira mulher a ganhar uma medalha de ouro na história dos Jogos Olímpicos foi a britânica Charlotte Cooper. Ele conquistou o torneio de tênis feminino nas Olimpíadas de Paris (1900).

– O primeiro brasileiro a ganhar uma medalha de ouro em Olimpíadas foi Guilherme Paraense. O feito foi realizado na prova de tiro durante as Olimpíadas de 1920, na Antuérpia (Bélgica).

– A nadadora Maria Emma Hulga Lenk Zigler (mais conhecida como Maria Lenk) foi a primeira brasileira (e também sul-americana) a participar dos Jogos Olímpicos. O fato histórico ocorreu nas Olimpíadas de Los Angeles de 1932. Com apenas 17 anos, Maria Lenk competiu nas provas de 100 metros livres e 200 metros peito.

– O atleta que mais ganhou medalhas olímpicas foi o nadador norte-americano Michael Phelps. Nos Jogos Olímpicos de Atenas (2004) e Pequim (2008) ele ganhou, no total, 16 medalhas. Nas Olimpíadas de Londres, o nadador conquistou mais 6 medalhas (sendo 4 de ouro e 2 de prata), totalizando 22 medalhas olímpicas.

– Após ganhar a medalha de ouro nos 200 metros medley, o nadador norte-americano Michael Phelps tornou-se o primeiro tricampeão olímpico em uma mesma prova de natação.

– Foi somente a partir das Olimpíadas de Londres (1948) que as provas de natação começaram a ser realizadas em piscinas.

– A cerimônia de revezamento da tocha olímpica, que ocorre dias antes do início dos jogos, começou a ser praticada somente nas Olimpíadas de Berlim (1936).

– O primeiro atleta a ganhar uma medalha de ouro na história dos Jogos Olímpicos da Era Moderna foi o norte-americano James Connolly. A conquista foi realizada nas Olimpíadas de Atenas de 1896, na prova de salto triplo. Neste mesmo evento, Connoly ganhou mais duas medalhas: prata no salto em atura e bronze no salto em distância.

– Os atletas que demonstram espírito olímpico durante os jogos são premiados pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) com a medalha Pierre de Coubertin.

– Os Jogos Olímpicos de Tóquio de 1964 foram os primeiros a serem transmitidos via satélite pela televisão.

– O país que mais conquistou medalhas na história das Olimpíadas foram os Estados Unidos. Até os Jogos Olímpicos de Londres (2012), os norte-americanos ganharam 2399 medalhas olímpicas (974 de ouro, 758 de prata e 667 de bronze).

– No ranking de medalhas conquistadas, o Brasil fica em 36º lugar. Até as Olimpíadas de Londres (2012), o Brasil havia conquistado 111 medalhas (23 de ouro, 34 de prata e 54 de bronze).

– Para garantir a segurança durante as Olimpíadas de Londres 2012, o governo britânico instalou mísseis em prédios residenciais na área leste de Londres.

– Los Angeles (EUA) foi a cidade que mais vezes se candidatou para ser sede dos Jogos Olímpicos. Foram nove candidaturas, sendo escolhida por duas vezes.

– As Olimpíadas de Londres de 1948 foram as primeiras a serem transmitidas pela TV para residências particulares.

– O único país-sede que não ganhou medalha olímpica em sua própria Olimpíada foi o Canadá. O resultado inédito e negativo foi obtido nos Jogos Olímpicos de Montreal de 1976.

– As Olimpíadas de Londres de 1908 foram as mais longas da história. Elas tiveram início em 27 de abril e terminaram em 31 de outubro.

– Nos Jogos Olímpicos do Rio de 2016, dois esportes voltarão para o quadro de modalidades olímpicas depois de muitos anos. O Rugby retorna para as Olimpíadas depois de 92 anos. Já o Golfe retorna após 112 anos.

– Nas Olimpíadas de Seul de 1988, durante a cerimônia de abertura, vários pombos morreram queimados no fogo da pira olímpica. Desde então, a revoada de pombos deixou de ser obrigatória na cerimônia de abertura.

– Durante toda a história dos Jogos Olímpicos da Era Moderna (até 2012), 144 países já ganharam medalhas.

– As Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016, provavelmente, baterá o recorde de número de países participantes. São esperados atletas de 206 países.

– Os Jogos Olímpicos de 2016, que será realizado na cidade do Rio de Janeiro, será a primeira edição deste evento em território sul-americano.

– Até as Olimpíadas de 2016 foram realizadas 27 edições dos Jogos Olímpicos da Era Moderna (16 na Europa, 6 na América do Norte, 3 na Ásia e 2 na Oceania).

– Durante as Olimpíadas, os atletas ficam hospedados na Vila Olímpica. Além das hospedagens, nela os atletas encontram toda infraestrutura necessária como, por exemplo, lojas e locais de prestação de serviços. Ela funciona como uma minicidade. Geralmente, a Vila Olímpica fica localizada próxima ao estádio olímpico.

– O Brasil não participou das Olimpíadas de 1896, 1900, 1904, 1908, 1912 e 1928.

http://www.suapesquisa.com/olimpiadas/curiosidades_olimpiadas.htm

Dia Internacional dos Povos Indígenas

Criado em 1995, o Dia Internacional dos Povos Indígenas busca garantir autodeterminação e os direitos humanos às diversas etnias indígenas do planeta.

Em 09 de agosto, é comemorado o Dia Internacional dos Povos Indígenas. A criação da data comemorativa pela Organização das Nações Unidas (ONU) pretende garantir condições de existência minimamente dignas aos povos indígenas de todo o planeta, principalmente no que se refere aos seus direitos à autodeterminação de suas condições de vida e cultura, bem como a garantia aos direitos humanos.

A data foi criada por decreto da ONU em 09 de agosto de 1995, como resultado da atuação de representantes de povos indígenas de diversos locais do globo terrestre. Essa atuação visava criar condições para a interrupção dos ataques sofridos pelos povos indígenas em seus territórios, após mais de quinhentos anos da expansão das formas de sociabilidade impostas aos indígenas pelos povos de origem europeia, principalmente.

Após a publicação do decreto, foram constituídos grupos de trabalho para a elaboração de uma declaração da ONU sobre o tema. Em 29 de julho de 2006, o Conselho de Direitos Humanos da entidade internacional aprovou o texto da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas. Um ano depois, em 13 de setembro de 2007, a Assembleia Geral da ONU aprovou a Declaração.

Um dos principais objetivos da declaração é garantir aos diversos povos indígenas do mundo a autodeterminação, sem que sejam forçados a tomar qualquer atitude contra a sua vontade, como expresso no artigo 3º: “Os povos indígenas têm direito à autodeterminação. Em virtude desse direito determinam livremente sua condição política e buscam livremente seu desenvolvimento econômico, social e cultural.”

Já no artigo 1º da Declaração é garantido às diversas etnias indígenas “o pleno desfrute de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais reconhecidos pela Carta das Nações Unidas, a Declaração Universal dos Direitos Humanos e o direito internacional dos direitos humanos.” Dessa forma, a ONU possibilita a equiparação dos direitos das etnias indígenas com os direitos que são garantidos pela entidade aos demais povos e etnias do mundo.

A publicação dessa declaração é um avanço para os povos indígenas, principalmente após o ataque generalizado que sofreram a mando das classes dominantes da Europa após o processo de expansão verificado com as grandes navegações, no século XV. A promulgação da Declaração é um apoio à resistência econômica, política, religiosa e cultural que as diversas etnias indígenas ainda mantêm.

No caso brasileiro, é um importante apoio aos cerca de 850 mil indígenas que habitam o território nacional, divididos em mais de 200 etnias, segundo o levantamento feito pelo Censo Demográfico do IBGE, realizado em 2010.

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-internacional-dos-povos-indigenas-09-agosto.htm

Dia Nacional de Combate ao Colesterol

Já é senso comum a importância de reduzir o nível de colesterol como uma relevante forma de reduzir os riscos de doenças do coração e ataques cardíacos. No Brasil, 40% da população possui níveis elevados de colesterol. Esse é um grande desafio, já que as doenças cardiovasculares são as principais causas de mortes no mundo, vitimando mais de 17 milhões de pessoas por ano, número que deve crescer para quase 24 milhões até 2030, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). O elevado nível de colesterol já é responsável por mais de 2,5 milhões de mortes no mundo.

O colesterol é uma substância gordurosa produzida naturalmente pelo corpo humano, com a função de manter as células funcionando adequadamente. O colesterol “bom”, HDL, retira o excesso de colesterol das artérias, impede seu depósito e reduz a formação de placa de gordura. Porém, o chamado colesterol “ruim”, LDL, pode se depositar nas artérias e provocar o seu entupimento.

Mas afinal, como reduzir o colesterol? Além das dietas, há medicamentos e os suplementos dietários. Os suplementos de fitoesteróis vêm apresentando resultados positivos bastante significativos. Os fitoesteróis são compostos naturais encontrados em células de plantas. Por terem estrutura semelhante ao colesterol, eles competem pela absorção no sistema digestivo, fazendo com que parte do LDL não seja absorvido, podendo reduzir seus níveis no sangue.

Desde os anos 50, os benefícios dos fitoesteróis têm sido revisados por meio de diversos estudos clínicos. Já são mais de 140 estudos relacionando o ingrediente à redução do colesterol. “A principal vantagem do fitoesterol, em relação a outros ingredientes, é a sua eficácia, podendo contribuir na redução de até 15% do colesterol “ruim”, afirma Luisa Abreu Cardoso, gerente de produto de Nutrição Humana da BASF para a América Latina. “Um estudo realizado na Alemanha demonstrou que a redução do colesterol pelo uso de esteróis vegetais poderia evitar cerca de 117 mil casos de doenças cardiovasculares em uma década”, diz.

Por conta de suas propriedades, ele tem o reconhecimento da Anvisa como um produto funcional. Os alimentos funcionais como margarinas e iogurtes, ou os suplementos dietários, como cápsulas, podem ser comercializados com a informação no rótulo de que auxiliam na redução da absorção de colesterol.

http://www.segs.com.br/saude/28359-8-de-agosto-dia-nacional-de-combate-ao-colesterol.html

Gols do Passado : Decisão com 5 gols na vitória do CRB em 76. Joãozinho fez três gols

Um clássico com 5 gols marcados, decisão do 2º turno do campeonato alagoano de 1976 no estádio Rei Pelé. Reinaldo Cavalcante transmitiu mais uma página da história do futebol alagoano. O CRB ganhou o clássico por 3×2, com três  gols de Joãozinho Paulista, enquanto Almir fez os dois gols do time azulino. O barulho das torcidas emociona. Ouçam :

 

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Imprensa internacional é só elogios para cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016 conquistou elogios da imprensa ao redor do mundo, chamando a atenção para a alegria e a vibração da festa. Com a pira olímpica acesa, os principais veículos de imprensa do mundo destacaram que o Brasil está pronto para as primeiras Olimpíadas da América do Sul.

“O Rio está pronto para fazer história”, estampou a CNN em seu site.

O norte-americano New York Times afirmou que a vibração vista no Maracanã na noite de sexta-feira é diferente daquela de outros Jogos Olímpicos. “Esses são Jogos Olímpicos básicos, consciente em relação a orçamento –mesmo com a cerimônia de abertura deslumbrando”.

O argentino Olé destacou a alegria, o movimento e as luzes da festa, “que se estenderam desde o chão até os céus”, escreveu o jornal.

“Diversas coreografias, um avião que saiu voando até o Cristo Redentor, a aparição da modelo Gisele Bundchen como Garota de Ipanema e centenas de fogos de artifícios emocionaram a todos”, apontou.

A preocupação ecológica foi um dos pontos que mais chamou a atenção, segundo o inglês The Guardian. Os aros olímpicos do Rio 2016 “foram formados por árvores para refletir o tema ambiental que percorreu a cerimônia de abertura”, destacou o periódico, elogiando a trilha sonora do evento.

A música também mereceu destaque do português A Bola, que citou especificamente o momento em que tocou “País tropical”.  “Soltou definitivamente o estádio que já estava de pé e cantava num grande clima de descontração”, apontou.

E o francês L´Equipe resumiu: “Festivo e comovente”.

https://www.rio2016.com/noticias/imprensa-internacional-elogia-cerimonia-de-abertura-do-jogos-olimpicos-rio-2016

 

Festa no Maracanã marca abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016

Antes da festa das medalhas que tomará conta do Rio de Janeiro nos próximos dias, o Maracanã abre hoje (5) suas portas, às 20h, para um dos momentos mais aguardados dos Jogos Olímpicos. A cerimônia de abertura é o instante em que todos os atletas, desde a grande estrela do atletismo Usain Bolt até o jovem velocista Siueni Filimone, de Tonga, desfilam pelo estádio como iguais. Naquele momento, não há vencedores ou perdedores, apenas esportistas, protagonistas de uma grande festa.

A cerimônia de abertura desta edição deve seguir a tradição de anteriores, contando a história do país-sede e de seu povo. A coreógrafa Deborah Colker, uma das mais renomadas da dança nacional, é quem assina a coreografia do espetáculo.

A cerimônia será dirigida por Fernando Meirelles, Andrucha Waddington, Daniela Thomas e Rosa Magalhães, com produção executiva de Abel Gomes. A promessa é de que o roteiro seja uma “síntese da cultura popular brasileira”. Com os nomes envolvidos, a cerimônia de abertura no Rio de Janeiro pode ser mais uma a entrar no rol dos grandes momentos olímpicos.

Homem-foguete

Ao longo dos anos, os Jogos Olímpicos protagonizaram cenas históricas em cerimônias de abertura. Em 1984, o norte-americano Bill Suitor entrou no Los Angeles Memorial Coliseum por cima. Usando um jetpack (um jato acoplado às suas costas, como uma mochila), ele sobrevoou o público do estádio e pousou no meio da arena, para delírio de todos.

“Estava muito quente. Eu me lembro de esperar para decolar, as pessoas tirando fotos e alguém me perguntou se eu sabia que haveria 2,5 bilhões de pessoas me assistindo. E isso faz você pensar… principalmente sobre se estatelar com o mundo assistindo”, disse ele, em entrevista à GQ Magazine, em 2012. Mas tudo deu certo e a aparência de um astronauta de Suitor aterrissando suavemente entrou para a história.

Nos mesmos jogos de 1984, o público participou ativamente da festa. Todos tinham cartões em seus assentos e, em determinado momento, o narrador pediu para que todos levantassem os cartões, formando um belo mosaico com as bandeiras de todos os países participantes dos jogos.

Fogo na ponta da flecha

Em Barcelona 1992, a cerimônia teve a participação de grande número de figurantes, que contaram a história da criação da cidade. Milhares de pessoas fantasiadas transformaram o Estádio Olímpico de Montjuic em vasto oceano, em um dos atos do espetáculo. As fantasias lembravam os tradicionais desfiles da Sapucaí. A encenação utilizou, com bastante frequência, técnicas de marionetes.

O acendimento da pira olímpica em 1992 foi um dos mais célebres da história. O fogo foi posto na ponta de uma flecha e coube ao arqueiro paralímpico Antonio Rebollo o papel de acender a pira. Sob os olhares do mundo, ele atirou a flecha a uma grande distância e a pira se iluminou, sob delírio do público. Pouco tempo depois foi revelado que a flecha não chegou a acertar o alvo. A flecha passara por cima do alvo e a pira foi acesa automaticamente para dar a ilusão desejada. Apesar da descoberta, o momento continuou imortalizado como um dos mais inesquecíveis dos Jogos Olímpicos.

Pequim

A cerimônia de abertura dos Jogos de Pequim foi um das mais belas já vistas. Os asiáticos se empenharam em fazer algo moderno e, ao mesmo tempo, tradicional. O resultado não poderia ter sido mais surpreendente. Um dos pontos altos da abertura foram os 2.008 tambores que se iluminavam ao serem tocados habilmente pelos percussionistas, em uma dança de imagem e som entrelaçados.

Tudo no segmento artístico da abertura em Pequim parecia ter sido feito para impressionar e criar novos parâmetros em uma cerimônia olímpica. Muitos dos números foram criados pensando no efeito para o público no estádio, que assistia a tudo de cima.

Roteiro cinematográfico

Em 2012, uma grande festa no Estádio Olímpico de Londres marcou o início dos jogos daquele ano. Foi uma celebração tipicamente britânica, com a participação de ícones da cultura local, como os atores Daniel Craig (conhecido por encarnar James Bond no cinema) e Rowan Atkinson (o eterno Mr. Bean). O espetáculo da cerimônia de abertura foi dirigido pelo cineasta Danny Boyle.

Em um grande espetáculo teatral, Boyle fez uma retrospectiva da evolução da civilização pelas décadas, com várias menções à arte e cultura inglesas. Se a cerimônia não superou Pequim, foi um espetáculo grandioso, com mudanças ousadas de cenário e que renderam vários elogios a Boyle. A cerimônia foi encerrada com Paul McCartney cantando Hey Jude.

A próxima página dessa história será escrita nesta sexta-feira no Maracanã, sob os olhares do mundo inteiro.

http://agenciabrasil.ebc.com.br/rio-2016/noticia/2016-08/festa-no-maracana-marca-abertura-dos-jogos-olimpicos-rio-2016

Edição: Graça Adjuto

Japoneses dizem em audiência que custo Brasil tem sido um entrave para investimentos

A Comissão de Desenvolvimento Econômico realizou nesta quarta-feira, 3, uma audiência para discutir a atração de investimentos do Japão para o Brasil. Participaram da reunião representantes da Embaixada do Japão e investidores de empresas japonesas como a Mitsubishi. A sugestão da audiência foi do deputado Luiz Nishimori, presidente do grupo parlamentar Brasil-Japão.

O ministro da embaixada do Japão, Yoshitaka Hoshino, falou sobre o futuro da relação econômica entre os dois países. Segundo ele, são cerca de 700 empresas japonesas presentes no Brasil. Este número duplicou em 2008 a 2013, mas desde 2014 está estagnado. “O Brasil adota a diretriz de atrair investimentos de países parceiros tradicionais para contribuir com o crescimento econômico. Entretanto, o custo Brasil tem sido um entrave para as atividades econômicas, com elevada carga tributária, protecionismo na legislação trabalhista e infraestrutura precária. As empresas japonesas se interessam em continuar investindo no Brasil, tem grande interesse nas áreas de infraestrutura (transporte urbano, aeroportos, portos, etc)”, afirmou o ministro.

Por isso, a Câmara de Comércio e Indústria Japonesa no Brasil elaborou o Plano de Ação para a realização de grandes investimentos (Agir) que propõe a eliminação do custo Brasil para aumentar a competitividade da indústria com propostas na área tributária como reforma radical do ICMS, extinção do sistema de substituição tributária e revisão do sistema de preço de transferência.

O presidente da Câmara do Comércio e Indústria Japonesa no Brasil, Toshifumi Murata, apresentou algumas propostas como desenvolvimento de medidas para apoio aos investimentos das empresas. “A situação atual é de dificuldade em atender o nível de capacidade técnica e de manufatura exigido pelas empresas japonesas, a existência de fornecedores que não atendem o requisito técnico e a falta de capacitação técnica dos trabalhadores, falta de eficiência de operação do sistema de energia”, informou, acrescentando que é preciso promover a inovação ao fornecedor brasileiro, um projeto educacional com parceria público-privado, criação de Zona de Processamento e Exportação na região de São Paulo, que possui o maior mercado consumidor e zona industrial, entre outras.

Segundo o vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria do Japão no Brasil, que também representa a Mitsubishi, Allchiro Matsunaga, a relação entre o Brasil e o Japão começou com a chegada dos primeiros imigrantes há mais de 108 anos. A primeira onda de investimentos do Japão no Brasil começou em 1950 e a segunda onda em 1970. A partir de 2010, houve uma terceira onda de investimentos.

O presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, o deputado federal Laércio Oliveira, afirmou que os problemas enfrentados pelos investidores brasileiros se repetem quando empresas estrangeiras querem investir no Brasil. “É preciso urgentemente melhorar esses pontos apresentados na audiência, a exemplo da diminuição do Custo Brasil, melhoria nas relações de trabalho, diminuição da carga tributária e investimentos em infraestrutura”, disse.

 

Lar São Domingos completa 97 anos

Fundado no dia 3 de agosto de 1919, o Lar São Domingos comemora, este mês, 97 anos de atividades em prol de uma sociedade mais inclusiva e humanitária. A culminância das comemorações desta data vai acontecer no dia 20, das 14h às 15h, durante o Terceiro Sábado. Familiares, diretores, colaboradores e voluntários irão assistir a diversas apresentações dos projetos desenvolvidos com as crianças.

Danças folclóricas e demonstração de Kung Fu e Karatê são algumas das apresentações garantidas para o evento, que vai prestigiar os presentes com uma pequena mostra dos muitos projetos que estão sendo realizados atualmente na sociedade filantrópica.

O ponto alto da festa vai ser a apresentação do Coral do Lar São Domingos, com cerca de 60 jovens cantando, e encantando, sob a regência do professor Jailson Natividade.

Criado inicialmente para abrigar crianças orfãs, desde 1995 o “Orphanato São Domingos” passou a se chamar ‘Lar’ a partir do reordenamento institucional, que lhe valeu o Prêmio Itaú/Unicef de 1997 com o Projeto Ninho de Pássaro. O Lar São Domingos atende atualmente, de segunda a sexta, das 7 às 17 horas, cerca de 450 crianças e adolescentes no contra-turno da escola formal e 240 famílias cadastradas.

Denuncie obstruções em espaços públicos

Recebo muitas ligações durante o programa Gazeta Manhã, na Rádio Gazeta, devido o uso indevido do espaço publico em Maceio.

Procurei informação na Secretaria de Comunicação da Prefeitura e recebi a seguinte matéria :

A população pode denunciar o uso indevido dos espaços públicos em Maceió de forma simples e rápida. A Superintendência do Controle do Convívio Urbano (SMCCU) de Maceió disponibiliza ao cidadão dois meios de formalizar a denúncia, sendo um por meio do disque denúncia e outro na própria sede do Órgão, no Bairro do Farol.

Segundo explica a Fiscal de Posturas do órgão, Jaclyn Falcão, qualquer pessoa pode entrar em contato e não é necessário se identificar. “O cidadão que se sentir prejudicado com alguma obstrução do espaço público, calçadas ou estabelecimentos irregulares, pode formalizar a denúncia e terá seu sigilo garantido”, Informou.

Segundo dados da superintendência, as maiores reclamações são de obstrução de calçadas e construções irregulares. “O auxílio da população é muito importante para que o Código de posturas não seja violado”, reforça Jaclyn Falcão.

O Disque Denúncia atende pelo número 3315-4747 e funciona das 08h às 14h, de segunda a sexta. Após o pedido, a SMCCU vai até o local em um prazo de 48 horas.

 

É assim que se faz jornalismo !